terça-feira, 7 de março de 2017

Angel Oil. O conto de fadas cyberpunk de Tatsuyuki Tanaka.


Alguém de vocês conhecem Tatsuyuki Tanaka? Se não, saibam que ele é um dos mais renomados ilustradores e animadores do Japão. Ele ficou reconhecido depois de animar magistralmente a cena de mutação do braço de Tetsuo, em Akira. O estilo cyberpunk de suas ilustrações é inconfundível, onde robôs e humanos dividem ambientes decadentes. O mangá que vou falar hoje é um ótimo exemplo da sofisticada arte de Tatsuyuki Tanaka. Angel Oil, uma espécie de Alice no País das Maravilha steampunk, é uma obra curta, mas possui o suficiente para apreciar uma arte de primeira. 

Tatsuyuki Tanaka é um artista bastante prolífico, ele atua nas áreas de animação, desenho, character design, direção e storyboard. Seu sucesso veio após Akira, mas ele trabalhou bastante em outras produções, como Roujin Z, Noiseman Sound Insect. Tatsuyuki Tanaka é um parceiro de longa data do  estúdio 4ºC, onde colaborou com obras como Genius Party e Digital Juice. Ele também trabalhou em vários jogos de videogame, comerciais para TV, entre outros. Também é autor dos artbooks Cannabis Works e Cannabis Works 2, sendo que a primeira edição do Cannabis Works eu já apresentei no Dissidência Pop aqui.


Outras obras em que Tatsuyuki Tanaka trabalhou foram Bubblegum Crisis, Green Legend Ran, e no character designer de Buki yo Saraba, este último um dos segmentos do filme antológico Short Peace, também resenhado no Dissidência Pop. Mais recentemente, ele trabalhou no character design do primeiro curta-metragem do filme Force of Will, baseado num jogo de cartas do mesmo nome. Este segmento é baseado na mitologia lovecraftiana, inclusive se chamando Cthulhu, um nome muito sugestivo.

Embora não tenha sido o forte de Tatsuyuki Tanaka, ele também trabalhou um pouco com mangás em sua longa carreira na indústria de animações japonesa. Destacam-se de sua obra as one-shots Boiling Head, Firescooter, TC-225 e Undertrain. Como seus mangás abrangem um espaço de tempo muito grande na carreira de Tatsuyuki Tanaka, é possível ver a evolução de seu estilo, culminando no cyberpunk que lhe é tão característico. Outra curiosidade é que Tatsuyuki Tanaka apenas desenhou one-shots, e dentro delas, apenas algumas tinham mais de um capítulo. O forte dele é as animações mesmo.


Falando do mangá título deste post, Angel Oil, foi uma série de capítulos lançados esporadicamente pelo Tatsuyuki Tanaka formando uma one-shot. O primeiro capítulo foi publicado em dezembro de 2006, e o quinto capítulo, e último até agora, somente foi publicado em setembro de 2010. Desde 2010 a obra encontra-se em hiato. Você devem estar se perguntando o motivo de eu estar falando sobre uma obra em hiato e com tão poucos capítulos? Para responder essa pergunta, farei algumas considerações.

Primeiramente, como dito acima, os capítulos de Angel Oil foram lançados de forma esporádica, de 2006 até 2010. Assim, não é como se o projeto nunca pudesse ser retomado, tudo depende da vontade de Tatsuyuki Tanaka. O outro motivo e o mais importante, mesmo sendo uma história curta e sem um desfecho propriamente dito, possui uma arte deslumbrante. Vale a pena ler Angel Oil somente pela arte de Tatsuyuki Tanaka, com sua ambientação cyberpunk única. O último motivo é que mesmo sem uma resolução, o enredo de Angel Oil diverte até ser interrompido pela falta de capítulos.


Como é de praxe, vou falar um pouquinho sobre do que se trata o enredo de Angel Oil. Em um futuro distópico cyberpunk, ciborgues se tornaram mais comuns do que humanos normais de carne e osso. As pessoas, ou melhor, ciborgues, vivem no subterrâneo, muitos andares abaixo da superfície. Alguém da superfície, ou algo, isso não é explicado, manda por meio de tubulações água e óleo. Nesse universo, o óleo possui uma função vital assim como a água. Já que a maioria das pessoas são ciborgues, e uma boa lubrificação é questão de vida ou morte. Aposto que ninguém quer seus circuitos queimando por falta de óleo, não é?

Um belo dia o fornecimento de óleo é interrompido. Os habitantes das cidades subterrâneas esperavam ansiosos pelo retorno do fornecimento, até que passaram a sofrer os pesados efeitos da abstinência de óleo lubrificante. Neste contexto é apresentado nossa protagonista, Hinako, ela é uma menina normal que ainda não fez a transição de seu corpo de carne e osso para uma máquina. Hinako está desesperada em ajudar sua avó, que devido a falta de óleo, corre o risco de ter o seu coração "frito", e assim, parar de funcionar. Detalhe, sua vó é praticamente uma lata velha, não há nada que a identifique como uma pessoa.


Hinako decide fazer uma jornada até onde o fornecimento das rações de óleo ocorre. Entretanto, ninguém nunca voltou de lá para contar a história. Os vizinhos a chamam de louca e pedem para ela não ir, mas sua vontade é forte e não se deixa abater. Um curioso ratinho branco vestido de samurai acompanha Hinako na aventura. Só mais para frente ele toma ciência do rato, quando ele a salva do ataque de um ciborgue maluco pela falta de óleo.

Bom, é assim que se desenvolve Angel Oil. Hinako e o rato partem em direção ao fornecedor, mas no caminho encontraram diversos perigos, já que todos pensam que pelo fato dela carregar uma lata de óleo ela tenha óleo. Inclusive ela quase é transformada em uma máquina a força. O mangá justamente acaba quando eles se encontram com alguém também de carne e osso que pode ser portador de informações vitais para a dupla.


Angel Oil se mostrou para mim como uma espécie de Alice no País das Maravilhas em versão cyberpunk. Hinako, como Alice, parte em uma aventura por um mundo maluco, fazendo companheiros na jornada e enfrentando uma série de perigosos. Angel Oil é praticamente um conto de fadas distópico. Coisas malucas ocorrem a todo momento. Ao final de Angel Oil o ratinho se transforma em um rato gigante e protagoniza uma cena de ação muito divertida, buscando salvar sua amiga Hinako. O maior ponto negativo de Angel Oil é justamente o fato dele não ter sido terminado! Eu gostaria muito de acompanhar o restante desta aventura.

Não tenho mais o que dizer da história de Angel Oil diante do seu fim prematuro, mas, do material já publicado posso dizer que a obra possui ou possuía potencial. Os poucos capítulos conseguem expor uma trama atraente, sendo perfeito para os fãs de obras cyberpunk. Seria um presente caso Tatsuyuki Tanaka resolvesse voltar a trabalhar com Angel Oil. O histórico de mangás de Tatsuyuki Tanaka não é muito favorável, visto que a maioria de suas obras neste tipo de plataforma foram apenas one-shots. De qualquer forma, não custa nada ter esperança.


Sem dúvidas o aspecto mais importante e que faz valer a pena ler Angel Oil é a arte, tanto a ambientação como character design são de primeiríssima qualidade, mostrando o melhor do trabalho de Tatsuyuki Tanaka. Impossível não se deixar levar pelos cenários totalmente caóticos criados pelo mangaká, é algo totalmente fantástico. Tatsuyuki Tanaka é um dos melhores desenhistas quando o assunto é criar uma ambientação cyberpunk. 

Os androides também são um espetáculo à parte, a riqueza de detalhes é memorável. Também não se deve esquecer de mencionar o design dos personagens humanos, como Hinako, que por sinal é a única humana propriamente tida em Angel Oil. A paleta de cores também é memorável, o uso de colorações azuis ou esverdeadas deu um charme especial para Angel Oil, dando um toque "arqueofuturista" ao mangá.


Um detalhe que me chamou a atenção em Angel Oil diz respeito quanto a avó de Hinako. Ela é aparece em uma animação de Tatsuyuki Tanaka, não como avó de Hinako, mas apenas como um elemento de cena. A animação se chama Tojin Kit, um dos curtas presentes na antologia Genius Party Beyond. Inclusive na cena onde a avó de Hinako aparece há uma menção direta e indiscutível à Angel Oil "Lost oil of life". O curioso é que não se vê nenhuma ligação aparente entre Tojin Kit e Angel Oil além da ambientação cyberpunk. Ou é apenas um easter egg de Tatsuyuki Tanaka ou ambas as obras se passam no mesmo mundo, ou é uma deixa da conexão entre elas. Bom, tudo isso é especulação, mas fica registrado a título de curiosidade.

Bom, encerro por aqui este post sobre o mangá Angel Egg de Tatsuyuki Tanaka. Como já havia dito acima, é triste o fato dele ter entrado em um hiato indefinido. Entretanto, por ser uma obra curtíssima e com uma arte fantástica, vale a pena ser lido, garanto que ninguém vai se arrepender. Também é um bom meio para conhecer um pouquinho do trabalho de um dos nomes mais importantes da indústria dos animes/mangás,Tatsuyuki Tanaka. Assim, fica a dica, espero que aproveitem minha indicação. Até uma próxima.

Quadro do curta Tojin Kit no qual aparece a avó de Hinako.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...