quarta-feira, 11 de outubro de 2017

Café com Anime - Mahoutsukai no Yome Episódio 1


Finalmente estamos dando início ao Café com Anime! Como eu já havia anunciado, eu, Gato de Ulthar, juntamente com outros amigos blogueiros, vamos realizar análises semanais de animes da temporada, a medida que os episódios forem saindo, tudo em forma de conversa entre os participantes. Se você tem interesse em entender melhor o projeto, recomendo que leia a postagem introdutória da inciativa: Café com Anime - Uma nova iniciativa do Dissidência Pop para esta temporada de Outono de 2017

Como ficou combinado, o Dissidência Pop ficou responsável por publicar nossas conversas sobre o anime Mahoutsukai no Yome, enquanto o É Só Um Desenho ficou responsável por Kino no Tabi: The Beautiful World. Já o Finisgeekis publicará nossa conversa sobre Girl’s Last Tour. E no Anime21, temos as discussões sobre Children of The Whale e Animegataris.


Também é possível acompanhar o Café com Anime e as conversas publicadas por aqui: Análises Semanais - Café com Anime, onde há um menu para acessar todos os episódios analisados, a medida quem forem lançados.

Espero que esta seja a primeira de muitas conversas realizadas através do Café com Anime. Então, faço mais um convite, aceite uma xícara de café e aproveite o texto! Ahh, e não deixe também de visitar os outros blogs participantes.


Mahoutsukai no Yome Episódio 1


Gato de Ulthar:
Vamos dar início ao debate sobre o primeiro episódio de Mahoutsukai no Yome. Pois bem, o hype correspondeu ao resultado. Uma BOA estreia, tem tudo para agradar. Adorei ao clima de "início de aventura mágica", quando a protagonista é apresentada ao mundo mágico propriamente dito (mesmo que ela já soubesse da existência dele), e vai conhecendo aos poucos os elementos deste universo. Me lembra começos de saga como no primeiro livro/filme de Harry Potter e outras obras do gênero. Ahh, e outra coisa, ela escolheu ser vendida, não é como se ela fosse uma escrava por submissão...Isso muda as coisas.

Diego: 
Eu gostei MUITO do fato de ter sido uma escolha DELA se vender como escrava. Por um lado mostra o seu desespero, ao mesmo tempo que mostra um pingo de esperança (vide o flashback que ela tem mais para o meio de episódio onde fica aparente que convenceram ela a se vender ao invés de se matar). E por outro enfatiza o papel de "salvador" que o Elias parece que terá para ela.
Fora isso, foi um ótimo episódio. O visual está tão bonito quanto eu esperava, e curti muito a trilha sonora. ESPECIALMENTE a abertura, que eu não paro de ouvir rs (a propósito: um anime com abertura já no primeiro episódio?! Em que ano estamos, 2001?! kkkk)

Fábio "Mexicano":
Não acho que ela ter escolhido mude alguma coisa.
Aliás, quem foi o idiota que achou que, por já ter os OVAs, o anime não trataria da questão da escravidão? Ah é, fui eu!


É verdade que, enlouquecida e pesarosa, ela escolheu uma solução extrema; bom, ela havia escolhido se suicidar antes, se entendi direito, não é?
Ser melhor do que morrer ainda não me faz parecer ser bom. Fiquei com o estômago embrulhado o episódio inteiro. O anime se passar no nosso mundo, ser contemporâneo, o mago tratá-la por "cachorrinha" mais de uma vez, ter despido ela para o banho...
"Mas eu não posso me recusar, não é?"
É, bem, sim, é melhor do que a morte, ela está tendo um fiapo de esperança pela primeira vez na vida, mas moralmente a circunstância ainda é bastante atroz. Gostei bastante do trabalho técnico, da caracterização do mundo e dos personagens nesse primeiro episódio, mas se não houver uma solução para a questão moral acho que vou começar a ficar cada vez mais incomodado com Mahou Tsukai no Yome.
Me pergunto se minha primeira impressão seria diferente se eu tivesse vindo pelo original ou pelos OVAs ao invés de entrar direto no anime.

Vinicius Marino:
Eu disse na nossa última conversa e mantenho minha opinião: a "escravidão" da Chise parece  a famosa "red herring". Um detalhe para nos despistar. Já nesse episódio podemos ver que as coisas são mais complicadas do que parecem. A própria aparência do Elias já entrega. Ele é uma caveira, mas está longe de ser ameaçador. Sério, olhe só esse rostinho:


Como Sleigh Beggy, Chise é o tipo de pessoa que está "presa" no espaço entre dois mundos: o humano e o das fadas. O seu "leilão" parece um ritual de passagem de um para o outro - a um universo tão diferente que o próprio valor da vida e a ética são diferentes

Gato de Ulthar:
Entendo o sentimento do Fábio quanto a necessidade de uma solução moral do tema abordado. Chise ser comprada em leilão e ser tratada como uma cachorrinha não é legal. Mas na minha opinião, deu para ver que é tudo um embuste. O mago queria ela como aprendiz (e como noiva ???), e trouxe ela para a casa dele, onde foi muito bem tratada, como nunca foi antes na vida, não é um tratamento de um escravo, tanto é que a primeira coisa que ele fez depois de irem para a sua casa, foi quebrar as correntes. E deu para ver que ele quer TESTÁ-LA para prepará-la para ser uma maga,  por isso é natural que ele não abra o jogo todo de uma vez. E quanto dar o banho nela? Ele é um mago que já deve ter séculos de existência, acho que já superou o fato de ver uma menina nua e necessariamente precisar sexualizar o ato.

Diego: 
De fato me pareceu meio evidente que o próprio Elias não levou esse negócio de "escrava" muito a sério, e deixa claro que a vê como uma aluna que ele deseja treinar.

Gato de Ulthar:
Também pareceu claro neste primeiro episódio que Elias não é muito bem visto pela comunidade mágica, parecendo um mago recluso, embora muito poderoso e influente.
E ficou bem bacana colocar logo de cara uma situação mais macabra com aquelas fadinhas. Ficou bem explícito que o poder da Chise atrairá todo tipo de situações perigosas. E bem, eu achei aquelas fadinhas muito parecidas (não tanto em aparência, mas sim pela atmosfera macabra) com as fadas do Vale da Neblina que aparecem em Berserk, que raptam crianças e seduzem outras com promessas de irem para um paraíso das fadas.



Fábio "Mexicano":
Eu gosto da ideia de fadas não necessariamente malignas, mas que acabam prejudicando e eventualmente matando as pessoas. Não sei se é a intenção de Berserk, aliás, conhecendo Berserk, tenho quase a intenção que NÃO, mas em Mahou Tsukai no Yome fiquei com a nítida impressão que as fadas não tinham nenhuma intenção negativa MAS se a Chise tivesse ido ela tava na roça.

Vinicius Marino:
Exato. Elas são como animais selvagens, parte da natureza. Não fazem as coisas por má índole, mas podem te matar assim mesmo.
É uma visão bem macabra (e verossímil) do sobrenatural.

Diego: 
O mito original das fadas não era justamente mais próximo disso? Que me lembre, a visão atual das fadas como criaturas puras, bonitinhas e tudo mais é uma visão bem mais moderna, enquanto que na mitologia original as fadas eram criaturas bem perigosas.

Vinicius Marino:
Faz sentido, se a gente pensar que essas criaturas eram metáforas para explicar as mazelas da vida. E que a vida, no passado, era bem mais perigosa.
Imagino que, ao longo do anime, veremos vários exemplos disso

Gato de Ulthar:
Justamente, tanto como em Mahoutsukai como nas fadas do Vale da Neblina em Berserk, há este elemento propriamente não mau no que concerne a índole das criaturas, e apenas maldades oriundas das ações que acabam gerando algo negativo. No caso de Berserk, as fadas são sim vilões, mas foi o único caso de um vilão que não se dá conta de que está fazendo algo errado.
Mas que as fadinhas em Mahoutsukai foram bem macabras, isso foram. Mas não destoa dos contos de fadas em suas versões originais. E veio bem a calhar o apontamento do Elias quanto ao fato de que o poder da Chise pode atrair sorte e azar. É uma faca de dois legumes, digo, gumes.

Vinicius Marino:
Se as fadinhas que são fofas já parecem assustadoras, imaginem os seres que já são apavorantes de início de conversa
De ler o mangá, lembro que a autora faz um ótimo trabalho de inverter expectativas.

Fábio "Mexicano":
Talvez fiquem fofos! Trolls com sapatilhas e saias de tule :D

Vinicius Marino:



Print exclusivo do episódio 2.

Fábio "Mexicano":
Excelente :)

Gato de Ulthar:
Bom, o que já deu para perceber que Mahoutsukai é um anime que dará muito o que falar, seja pelas inversões de expectativas , seja pelos elementos místicos variados, ou ainda pelo visual estonteante. Agora, para finalizar, eu pergunto: Vocês acham que Mahoutsukai foi uma boa estréia? E estão ansiosos pelo segundo episódio do anime?

Fábio "Mexicano":
Continuo tão ansioso quanto estava antes. Claramente foi apenas uma introdução e ainda está para se ver qual será a história, como esses personagens e esse mundo irão "funcionar". Foi uma boa estreia que me manteve com vontade de descobrir tudo isso, além de ser visualmente muito bonito.

Diego: 
Concordo com o Fábio. O primeiro episódio foi uma boa introdução àquele universo, e eu certamente quero saber mais dele e desses personagens.

Vinicius Marino:
Tão animado como poderia estar. Ver esse mangá animado é uma experiência que não perderia jamais

Gato de Ulthar:
Então encerramos por aqui as impressões do primeiro episódio de Mahoutsukai no Yome. Num plano geral o anime agradou a todos e levantou expectativas positivas, esperaremos ansiosos pelo segundo episódio. Até a próxima.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...